Tudo que você precisa saber sobre a dor ciática



Você já deve ter ouvido falar ou até mesmo já passou por uma crise de dor no nervo ciático. Embora essa condição cause dor intensa e, muitas vezes, incapacitante, a boa notícia é que em mais de 60% dos casos, as crises costumam melhorar em cerca de três meses, com tratamentos conservadores, ou seja, sem necessidade de cirurgia.

Segundo Walkíria Brunetti, fisioterapeuta especialista em Pilates e RPG, é importante entender que a dor ciática, cujo termo médico é ciatalgia ou lombociatalgia, não é uma doença e sim um sintoma. “A dor surge quando há, provavelmente, uma hérnia de disco que comprime o nervo ciático, o maior nervo do corpo humano. Estima-se que em 90% dos casos, a crise ciática tenha relação com herniações nos discos na região lombar”.

Das nádegas às pernas

A principal característica da dor ciática é que começa na região das nádegas e se irradia para os quadris e pernas. “Normalmente, a dor afeta apenas um dos lados do corpo. Ela costuma piorar quando a pessoa se senta. Formigamento, dormência e sensação de ardência são outros sintomas que podem acompanhar a dor ciática”, explica Walkíria.

Quando a crise é muito intensa, é possível ainda que a pessoa sinta dificuldades para movimentar os membros afetados, para se levantar ou andar. “Subir e descer escadas também pode ser bem doloroso. Mas, a intensidade dos sintomas depende do local de compressão do nervo ciático”, comenta a especialista.

Idade é fator de risco

Após os 40 anos, quase sempre a dor ciática está ligada ao processo de degeneração progressiva da coluna. Já nos mais jovens, a causa mais prevalente é a rotura do disco ou das fibras externas intervertebrais.

“Além da idade, obesidade, tabagismo, estresse, tipo de trabalho exercido e alguns esportes são fatores de risco para o desenvolvimento precoce de uma hérnia de disco, que pode causar a dor no ciático, caso a compressão atinja esse nervo”, reforça a fisioterapeuta.

Benefícios da Acupuntura

A dor ciática pode ser tratada com vários recursos, como fisioterapia, medicamentos e mudanças no estilo de vida. Hoje, um dos tratamentos mais eficazes para reduzir a dor e tirar a pessoa da crise é a acupuntura.

“Isso porque os medicamentos anti-inflamatórios podem causar importantes efeitos adversos. Há ainda pacientes que tem contraindicação por outros problemas de saúde, como doenças gastrointestinais, por exemplo. Já a cirurgia é indicada em pouquíssimos casos, sendo a última escolha terapêutica para uma descompressão do nervo”, explica Walkíria.

As diretrizes atuais para o gerenciamento da dor ciática começaram a dar mais atenção aos tratamentos não farmacológicos, como a fisioterapia e acupuntura. Recente estudo publicado no Pain Medicine, periódico da Oxford University apontou que 12 sessões de acupuntura são eficazes no alívio dos sintomas em curto prazo, além de ser um tratamento seguro e praticamente sem efeitos adversos.

Um meta-análise publicada em 2019, no Global Spine Journal, mostrou que a acupuntura tem um efeito significativamente superior na redução da dor crônica da coluna e na melhora da função quando comparada ao uso de medicamentos, massagens e exercícios físicos.

No Brasil, até o Sistema Único de Saúde (SUS) se rendeu aos benefícios da acupuntura e em algumas cidades a terapia é oferecida. “Há muitos idosos com dores crônicas na coluna e essa população pode se beneficiar muito da acupuntura, já que medicamentos e cirurgia, normalmente, são contraindicados”, conclui Walkíria.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square