top of page

O que é fascite plantar? Quais os sintomas e como tratar






A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar por toda a planta do pé. O principal sintoma da condição é a dor no calcanhar, especialmente ao se levantar, após longos períodos em pé ou ainda depois de caminhadas.

 

Segundo a fisioterapeuta Walkíria Brunetti, especialista em Dores Crônicas e Saúde Postural, a fáscia plantar desempenha um papel importante na biomecânica normal do pé, sendo composta por três segmentos, todos originados do calcâneo. “A fáscia é importante para fornecer suporte ao arco plantar e proporcionar absorção de choque durante a marcha. Durante a fase de apoio da marcha, aquela em que damos o impulso para andar, a fáscia é constantemente comprimida e submetida a movimentos repetitivos de tração”.

 

Origem: o que é fascite plantar?

 

Em geral, a fascite plantar é causada pelo uso excessivo e por esforços repetitivos. Estas duas condições podem causar microrrupturas no tecido. Em outros casos, traumas e lesões nos pés também podem levar ao desenvolvimento da doença.

 

“Entretanto, existem alguns fatores que aumentam o risco de a pessoa apresentar a fascite plantar como pé plano, pé cavo, redução da flexibilidade do tornozelo. Além disto, o tipo de pisada também pode contribuir, como a pronação ou supinação excessiva”, comenta a especialista.

 

“O pé plano pode causar aumento da tensão na fáscia plantar. Já o pé cavo pode causar tensão excessiva no calcanhar, porque o pé não reverte ou absorve o choque com eficácia. Há ainda pessoas que possuem encurtamentos importantes nos músculos posteriores das pernas e isto altera a biomecânica durante a caminhada”, explica Walkíria.

Outros fatores de risco são idade (mais comum em idosos), prática de esportes como corrida, obesidade, atrofia no calcanhar e profissões que exigem que o trabalhador passe muitas horas em pé.

 

Você sabia?

Estima-se que afeta 1 em cada 10 pessoas ao longo da vida, costuma aparecer entre os 40 e 70 anos e pode atingir homens e mulheres.

 

Dor no calcanhar é principal sintoma da fascite plantar

 

Os pacientes, frequentemente, apresentam história de dor progressiva no calcanhar. Geralmente, a dor é aguda e piora nos primeiros passos para sair da cama pela manhã. Longos períodos na posição de pé ou sentada também pode agravar os sintomas.

 

 Chinelos e rasteirinhas podem piorar sintomas da fascite plantar

 

Os brasileiros têm um hábito muito comum que é andar com chinelos de dedo, principalmente durante o verão. “Entretanto, chinelos, rasteirinhas, sapatilhas e sapatênis aumentam o risco de problemas na fáscia e no pé. Isto porque estes calçados não oferecem apoio para o arco do pé, o que pode causar danos na fáscia plantar ao longo do tempo”, alerta a fisioterapeuta.

 

A preocupação também se estende para as mulheres que usam sapatos de salto alto. Estes calçados podem levar ao encurtamento da fáscia plantar. “Portanto, o ideal é usar os chinelos para ir à praia e piscina ou ainda dentro de casa, mas nunca por períodos prolongados. A dica é investir em chinelos ortopédicos que oferecem apoio para o arco do pé”, recomenda Walkíria.

 

Para quem usa sapato todo dia para trabalhar, por exemplo, a dica é optar por saltos de 3 a 4 cm ou ainda por modelos das linhas de conforto, que também possuem palmilhas e formatos mais anatômicos.

 

O papel da fisioterapia no tratamento da fascite plantar

 

Inicialmente, o tratamento visa à redução da dor. Isto pode ser feito com medicamentos em associação com recursos da fisioterapia como eletroestimulação, ultrassom e termoterapia.

 

“No início do tratamento é fundamental entender as causas ou fatores de risco associados ao quadro da fascite para traçar o plano terapêutico. Em muitos casos é preciso corrigir a pisada, bem como o arco plantar. Também precisamos avaliar o impacto do peso e de esportes que o paciente pratica no quadro da fascite”, relata Walkíria.

 

“Quando o paciente sai do quadro agudo de dor, podemos iniciar os alongamentos e demais exercícios para aumentar a flexibilidade e a amplitude de movimento. Também é preciso corrigir os encurtamentos musculares e organizar a biomecânica da marcha”, complementa.   

 

“Por fim, alguns pacientes podem se beneficiar do uso de palmilhas e órteses. Lembrando ainda que é preciso escolher os calçados com critério. Em cerca de 75% dos casos, a fascite plantar melhora torno de 12 meses. Contudo, é uma doença degenerativa que pode evoluir, tendo períodos de melhora e piora”, finaliza Walkíria.  

 

 Clínica Walkíria Brunetti


A Clínica Walkíria Brunetti oferece diversos serviços e tratamentos, para as mais diversas condições e doenças do sistema musculoesquelético. Entre eles:


  • Fisioterapia

  • Fisioterapia infantil

  • Fisioterapia para bebês

  • Reeducação Postural

  • Pilates

  • Pilates Kids

  • Musculação

  • Acupuntura

  • Massagens

  • Fisioterapia neurofuncional


 A clínica está localizada na Rua João Álvares Soares, 1420 - Campo Belo, São Paulo - SP, 04609-003

Telefone: (11) 5041-7140

Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page