top of page

O que é tenossinovite? Quais os sintomas? Como é o tratamento?




A tenossinovite é caracterizada pela inflamação de um tendão e de sua bainha sinovial, estrutura que reveste o tendão. A principal função da bainha é reduzir o atrito do tendão com os músculos, ligamentos e ossos. A bainha é preenchida pelo líquido sinovial. A tenossinovite pode ser ter origem idiopática (quando não é possível apontar a causa); inflamatória ou infecciosa.


Segundo a fisioterapeuta Walkíria Brunetti, especialista em Dores Crônicas e Saúde Postural, as formas mais comuns de tenossinovite são a idiopática e a estenosante. “Em geral, o desencadeamento tem relação com processos que sobrecarregam os tendões. Os tendões conectam os músculos aos ossos, sendo essenciais para movimentos como dobrar as mãos, punhos, joelhos etc. Todas as articulações do corpo humano dependem dos tendões para funcionar”.


A tenossinovite idiopática e estenosante resultam do estreitamento do diâmetro entre o tendão e a bainha sinovial. Esta redução do espaço impede o deslizamento normal do tendão. Há casos relacionados a movimentos repetitivos, como digitar em computadores e celulares. Mas há também pacientes que desenvolvem este tipo de tenossinovite sem referir nenhum tipo de sobrecarga.


Dedos, mãos e punhos são locais mais afetados pela tenossinovite


As regiões mais afetadas são os punhos, mãos e dedos polegares. A tenossinovite De Quervain é aquela que atinge os tendões do dedo polegar que passam pelo punho. “A pessoa pode sentir muita dor quando movimenta o dedão. Alguns pacientes descrevem como uma dor em pontada na base do polegar e do punho”, comenta Walkíria.


Mulheres em risco


A tenossinovite de Quervain é bastante prevalente em mulheres, especialmente durante a amamentação. Alguns estudos apontam uma incidência de 0,94 a cada 1000 pessoas. “A dor pode ser bastante intensa e até mesmo dificultar os cuidados com o bebê. O atrito dos tensões com as demais estruturas leva à inflamação e a dor. Além disto, há uma sensação de travamento nos movimentos do polegar”, explica a especialista.


Por fim, em alguns casos pode ocorrer uma irritação nos nervos que passam pela região do punho. O resultado é a sensação de choque e formigamento nos dedos e punho. A tenossinovite dificulta movimentos simples do dia a dia como abrir uma porta, pentear o cabelo, fechar uma torneira etc.


Tenossinovite também pode ser de origem inflamatória


A tenossinovite é uma doença bastante prevalente em pessoas com doenças reumatológicas, como a artrite reumatoide, gota e artrite psoriática. Um estudo apontou que 55% dos pacientes com artrite também apresentam sintomas da tenossinovite. Mas há evidências de que 87% dos pacientes com condições reumatológicas apresentam sinais radiográficos de tenossinovite em exames de imagem.


Fisioterapia e mudança de hábitos contribuem na melhora dos sintomas


Naturalmente, o tratamento da tenossinovite dependerá inteiramente da causa. Em geral, busca-se reduzir a dor, inflamação e melhorar os movimentos. “O quadro doloroso pode ser tratado com medicamentos anti-inflamatórios. Para além disto, é possível usar recursos da fisioterapia como termoterapia, eletroterapia, ultrassom e até mesmo acupuntura. Vale dizer que o uso de talas nem sempre é recomendado”, comenta Walkíria.


“Depois que a dor melhora, podemos iniciar a fase da reabilitação. Os exercícios são focados no fortalecimento dos músculos das mãos, dedos e punhos. O alongamento também é importante para melhorar a flexibilidade”, finaliza Walkíria.


Proteja seus tendões!


Para prevenir a tenossinovite ou até mesmo para impedir novas crises, é importante adotar alguns cuidados como:



  • Use mais a voz: Atualmente, há diversos recursos de voz nos equipamentos eletrônicos. Mensagens de áudio e comando de voz podem substituir a digitação.

  • Alongue-se: Procure realizar alongamentos das mãos, punhos, pescoço, ombros, braços e antebraços a cada 20 ou 30 minutos quando estiver no celular ou no computador.

  • Detox digital: Reduza o tempo gasto no celular e computador, sempre que possível

  • Exercícios de fortalecimento: Em casa você pode fazer alguns exercícios para fortalecer as mãos e punhos. Um deles é apertar e soltar as bolinhas antiestresse. Outro movimento é colocar um elástico de cabelo no polegar, dedo anelar e dedo médico. Depois, realize movimentos de abrir e fechar. Repita o movimento em todos os dedos.




Comentários


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page