Pilates melhora função pulmonar em idosos

12/03/2018

Você sabia que não é só a aparência física que muda com a idade? Nossos órgãos, tecidos e funções também sofrem com o envelhecimento. Um dos efeitos desse processo é a diminuição da força da musculatura respiratória.

 

A boa notícia é que um estudo brasileiro, publicado este ano no jornal científico Clinics, mostrou que o Pilates, associado a um treinamento muscular inspiratório, proporciona melhora da função pulmonar e do condicionamento físico nas pessoas com mais de 60 anos.  

 

Segundo a fisioterapeuta, Walkíria Brunetti, especialista em Pilates e RPG, a diminuição da força muscular é uma característica muito marcante no processo do envelhecimento e atinge todas as cadeias musculares, inclusive os músculos responsáveis pela respiração.

 

“A redução da capacidade respiratória nos idosos tem impactos importantes no dia a dia. O cansaço surge mais facilmente. As atividades simples, como varrer o chão, passear com o cachorro ou subir uma escada podem se tornar mais desgastantes, causando falta de ar e fadiga”, explica Walkíria.

 

Fisiologia da respiração muda com a idade

A explicação para as dificuldades respiratórias em idosos está na fisiologia da respiração. A capacidade pulmonar de se expandir na inspiração e de voltar ao normal na expiração se chama complacência pulmonar. Esta complacência pode aumentar, especialmente em idosos ou em pessoas com enfisema pulmonar, devido à perda das fibras elásticas.

 

“Com isso, o pulmão se expande, mas não volta ao normal, dificultando a saída completa do ar inspirado. E sabe-se que uma expiração efetiva é essencial para eliminar o CO2, para fazer as trocas gasosas e para melhorar a ventilação e a oxigenação dos tecidos, fatores essenciais para um envelhecimento saudável”, comenta Walkíria.

 

Pilates: um aliado da saúde pulmonar

Em relação aos resultados da pesquisa, a fisioterapeuta ressalta que o achado mais importante foi que o Pilates melhorou de forma significativa a Pressão inspiratória máxima (PImáx), que reflete a força dos músculos inspiratórios. Também houve melhora da Pressão expiratória máxima (PEmáx), da força abdominal, das funções neuromusculares e da condição aeróbica dos participantes.

 

“Os músculos abdominais são essenciais para o controle da expiração. Portanto, o fortalecimento dessa cadeia muscular é muito importante para quem apresenta complacência pulmonar aumentada e o Pilates atua nessa função de aumento da força”, ressalta Walkíria.

 

“Além disso, a respiração é um dos princípios para executar os exercícios do Pilates de forma correta. Vale lembrar que no Pilates, a expiração é um dos movimentos mais importantes, pois depende da contração forçada dos músculos do CORE, que participam da respiração, como por exemplo, o diafragma. E um dos principais benefícios do Pilates é justamente o fortalecimento dos músculos do CORE”, cita a especialista.  

 

Pilates é para todos?

Embora muitas pessoas hoje aderiram ao Pilates como uma prática esportiva, é importante ressaltar que algumas modalidades, principalmente as mais recentes, não são indicadas para todas as pessoas.

 

“O ideal é que pessoas com problemas de saúde como idosos e gestantes, principalmente, procurem fazer aulas de Pilates mais individualizadas, com acompanhamento de um fisioterapeuta especialista no método. Para esse público, o mais indicado é o Studio Pilates, que é a modalidade feita nos aparelhos”, reforça Walkíria.

 

Como uma curiosidade final, o criador do Pilates, Joseph Pilates, era asmático. Assim, ele praticava diariamente os exercícios respiratórios do seu método, inicialmente chamado de contrologia.  

 

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Posturas inadequada pode causar cervicalgia

16/09/2020

1/6
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags