Entenda porque o Pilates ajuda a aliviar o estresse

10/26/2017

Difícil encontrar alguém que nunca tenha sofrido com o estresse, que atinge 70% da população brasileira, segundo o ISMA-BR (International Stress Management Association). Vida cada vez mais corrida, excesso de trabalho, menos tempo para o lazer, medo de perder o emprego, insegurança e a quase obrigatoriedade de estar sempre conectado são fatores que deixam as pessoas exaustas, tensas, desequilibradas e, por consequência, doentes.
 

“Há provas suficientes de que não dá mais para subestimar os efeitos do estresse crônico. Ele tem um efeito devastador na saúde física e mental. Pode evoluir para depressão, ansiedade, insônia, problemas de pele, gastrite, entre outras doenças. O estresse também é um importante fator de risco para dores musculares e problemas como tendinite, lombalgia e bursites, por exemplo, diz a fisioterapeuta e especialista em Pilates, Walkiria Brunetti.
 

Como nem todos os fatores que levam ao estresse podem ser eliminados, o ideal é encontrar formas de gerenciá-lo. Uma delas é o Pilates, técnica criada pelo alemão Joseph Pilates que visa ao controle e à conexão entre corpo e mente, resultando na restauração da saúde e no aumento da qualidade de vida.
 

Veja, abaixo, os três principais motivos pelos quais o Pilates contribui para o gerenciamento do estresse:
 

1.Relaxa: Uma das frases mais inspiradoras de Joseph Pilates, criador da técnica, diz mais ou menos assim: “as pessoas devem aprender a se movimentar sem tensão”. Aprender a não despender mais esforço e energia do que o necessário para a realização das tarefas é um dos princípios básicos do Pilates e um grande ensinamento para a vida. Nas aulas de Pilates, ganha-se consciência corporal e, com ela, é possível aprender a usar apenas os músculos essenciais para a realização de um determinado exercício ou atividade, mantendo os demais relaxados.
 

2. Traz clareza mental e sensação de bem-estar: Os adeptos da ioga e, mais recentemente, do mindfulness, que o digam: respirar profunda e lentamente, algo que se aprende com a prática indiana e com a técnica moderna, relaxa, clareia a mente e gera bem-estar. O Pilates também trabalha com o mesmo princípio: a chamada respiração diafragmática ou profunda.

 

A respiração torácica, também chamada de respiração curta, leva menos oxigênio ao organismo, além de piorar os sintomas da ansiedade e do estresse. Por outro lado, quem pratica a respiração diafragmática consegue oxigenar melhor o sangue, acalmar a mente e relaxar o corpo. Inspirar e expirar profundamente ajuda a restabelecer o equilíbrio e dar um fim à tensão. Quantas vezes, em momentos de enorme nervosismo, você já não ouvir a frase “respire fundo”?

 

3. Traz de volta o equilíbrio: Há quem diga que a vida hiperconectada tem um efeito importante na capacidade de atenção. São tantas informações e solicitações que não conseguimos focar em nada por mais de poucos segundos. Acredite: isso exaure a energia e pode piorar o estresse. O Pilates nos obriga a desacelerar e a prestar atenção aos nossos movimentos e em nós mesmos. É foco no momento, no corpo, em vez de de foco nos fatores que nos estressam.
 

“Voltar a atenção exclusivamente para você mesmo e para os seus movimentos ajuda a esvaziar a mente e atingir um estado de equilíbrio e de bem-estar. Joseph Pilates trouxe a mesma ideia para a técnica que desenvolveu. O Pilates ajuda a aliviar o estresse, além de minimizar alguns de seus sintomas que mais têm impacto no dia a dia: a instalação de pensamentos negativos e pessimistas na mente e as dores musculares crônicas”, conclui Walkiria. 

Please reload

Posts Em Destaque

Posturas inadequada pode causar cervicalgia

16/09/2020

1/6
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags